Um tour de force da Bratislava e Viena

Em Setembro de 2017, quando a Clara tinha 10 meses nós fizemos uma viagem curtinha mas deliciosa para a Bratislava e Viena. Eu adorei essa viagem por alguns motivos. Em primeiro lugar, Viena era um sonho de consumo; em segundo, a Bratislava foi uma surpresa deliciosa; terceiro, nós fomos à Viena para encontrar com um casal de amigos nossos da Hungria e sua filhinha  um pouco mais velha que a Clara e por último, nós ficamos em dois Airbnbs muito bons, em especial o de Viena.

A Bratislava veio como um extra: não há voo direto para Viena saindo do aeroporto mais próximo de nós que é o de Stansted. A maneira mais rápida e barata portanto é ir de avião para a Bratislava na Eslováquia depois pegar o trem para Viena. Como tínhamos que parar na Bratislava, achamos que valia a pena passar um dia lá para conhecer um pouco da cidade e no dia seguinte partir para Viena.

O voo mais uma vez foi bastante tranquilo e já fomos direto prara o nosso Airbnb, que era muito bom e bem localizado. A primeira coisa que fizemos foi levar nossas as coisas ao Airbnb e trocar de roupa pois estava fazendo muito calor! Logo depois fomos comer em um restaurante pertinho do apartamento e já aproveitamos para experimentar a comida e a cerveja eslovaca. Como a Clara ainda não tinha um ano, preferimos levar a comida dela da Inglaterra. Sempre preferi a marca Ellas’s Kitchen que tem pratos variados para todas as idades e o que é melhor, é tudo orgânico! Depois do almoço fomos dar uma volta no centro histórico da cidade. E que cidade mais linda! Aproveitando que a Clara caiu num cochilo no carrinho, paramos em um outro restaurante e pedimos uma garrafa de champanhe. Enquanto Clara dormia confortávelmente no carrinho nós conseguimos curtir o solzinho sentados na parte de fora do restaurante tomando bolhinhas! Com a Clara ainda no seu cochilo nós aproveitamos para ver alguns pontos turísticos da Bratislava. Vimos o Slovak National Theatre, o St. Michaels Gate e o prédio mais fino do mundo (que realmente é muito fininho!).

Predio mais fino do mundo!

Quando a Clara acordou fomos até a famosa Blue Church que é uma Igreja católica húngara que leva esse nome pela sua cor e mosaicos que são, pasmem, azuis! Na Igreja ainda achamos um cantinho para a Clara mamar, o que foi excelente.

Teatro Nacional da Bratislava

Depois da Igreja fomos ver o castelo ds Bratislava, que fica bem no alto da cidade, às margens do rio Danúbio e tem vistas da Bratislava, da Hungria e da Áustria. Na subida para o castelo, paramos para ver a famosa UFO bridge, que é uma ponte cuja parte de cima é um observatório com vista panorâmica da cidade e parece um disco voador. Inclusive é possível visitar esse observatório e até mesmo comer lá (nós não fizemos esse passeio). Na subida para o castelo pegamos uma chuva bem chata além de termos tido que carregar o carrinho da Clara nas partes com escadas, que eram muitas. Na descida do castelo, vimos que já era hora da Clara comer e achamos um bar super diferente, com uma decoração muito doida mas muito legal. Nas paredes há esculturas de diabos e até um Salvador Dali pulando das parede. Mais tarde descobrimos que esse bar se chama “ U Certa”, que significa “na casa do diabo” e é considerado um dos bares mais legais da cidade. O barman esquentou a comidinha da Clara e nós aproveitamos para beber um drink, é claro, porque ninguém é de ferro né!!

UFO bridge

Depois disso, fomos para nosso Airbnb. Demos um banho na Clara, colocamos ela para dormir, Thomas foi buscar uma pizza e um vinho e nós ficamos na sala batendo papo e curtindo nosso jantar. Essa para mim é a grande vantagem do Airbnb: respeitar a rotina da criança sem sacrificar muito o espaço próprio.

No dia seguinte fomos à estação de trem para irmos à Viena. Assim como muitos lugares que foram parte da União Soviética ou foram/são comunistas, possui bastante arquitetura comunista. Como eu morei na China por 7 anos (que é um país comunista), onde grande parte da arquitetura é nesse estilo, eu logo vi as semelhanças. Era quase como entrar num túnel do tempo para os tempos da União Soviética. Até o restaurante da estação era antigo. Eu particularmente adoro essas coisas e inclusive descobri que assim como na Cracóvia, é possível fazer um tour da arquitetura comunista da cidade, algo que eu adoraria fazer em uma próxima viagem.

Chegada em Viena

Se a estação era antiga, o trem era bem novinho e super confortável. Clara se comportou super bem e até almoçou no trem. Chegamos em algumas horas à estação de trem de Viena e pegamos um táxi para o nosso Airbnb que inclusive até hoje é um ds melhores lugares que eu já fiquei. Que apartamento fofo! E super bem localizado no segundo distrito de Viena, Leopoldstadt. Além da área ser super interessante e multicultural, ainda ficamos bem em frente à uma praça com um mercado de rua e vários cafés e restaurantes muito bons, o Volkermarkt. Nosso Airbnb era um charme! Super bem decorado e equipado, com dois quartos e uma cozinha, sala e banheiro bem amplos.  Assim que nos livramos das malas, descemos para almoçar e escolhemos o Cafe Nelke, que ficava nessa no Volkermarkt que é muito bom e foi sugerido por um amigão meu que havia morado em Viena e simpelsmente ama a cidade. Aliás, todo o roteiro dessa viagem à Viena foi feito por ele e inclusive ele foi praticamente um guia virtual pois ele ia me dando as dicas e falando o caminho usando o messenger! Na verdade era muito engraçado pois toda a vez que nós chegávamos a um lugar, eu mandava um foto e ele morria de saudade.

 No Café Nelke eu comi minha primeira comida típica: spätzle, um tipo de massa e tomei um sturm, um tipo de vinho que só é servido nessa época do ano e é uma delícia. A Clara nessa hora estava dormindo, o que foi perfeito. Depos do almoço voltei a falar com meu amigo e ele nos mandou a catedral de St. Stephen, que é uma das principais atrações da cidade e seguimos andando em direção ao MQ (Museum Quartier) fazendo algumas paradas legais no caminho como o Hofburg, que é o antigo palácio imperial, e a estátua de Mozart, já que foi lá que ele nasceu. Detalhe importante: durante todo esse tempo, a Clara dormiu e só acordou mesmo logo antes de chegarmos ao Mozart!

Enfim chegamos ao MQ, que é um dos maiores complexos culturais do mundo. Além de museus, há ainda vários tipo de atividades culturais, restaurantes e cafés e a arquitetura é bem interessante. Infelizmente, como já era o final do dia, nós só sentamos em um café para dar a janta da Clara e bebemos alguma coisa. Depois disso, voltamos ao nosso Airbnb e depois que a Clara dormiu, comemos um kebab delicioso comprado no mercado em frente a nós e recomendado pelo meu amigo.

Na manhã seguinte, fomos ao encontro dos nosso amigos que vieram da Hungria. Otto, Gabi e a filhinha deles, Adriana, então com 20 meses se juntaram a nós e depois de tomar um café no hotel e por o papo o dia, começamos a andar em direção ao Palácio de Belvedere, um prédio histórico em estilo barroco constituído por dois prédios e jardins. O lugar é lindíssimo. Chegando lá, a Clara mamou (eu amamentei andando!) e assim como a amiguinha Adriana, conchilou. Quando as pequenas acordaram, nós fomos direto jantar. Nesse dia ficamos na rua até mais tarde que normal o que tirou a Clara um pouco da rotina dela. Acabou sendo uma noite difícil, pois ela acordou várias vezes.

O dia seguinte era nosso último dia em Viena. Encontramos nossos amigos novamente e decidimos ir a um restaurante tradicional da cidade e escolhemos o Landtman Cafe onde eu finalmente comi um schnitzel. Apesar de ter levado uma Ella’s Kitchen para a Clara, acabei dando um pouco do schnitzel para ela e lógico ela a-do-rou! Depois do almoço, voltamos rapidamente ao nosso Airbnb debaixo de muita chuva e de lá fomos ao aeroporto. A viagem de avião foi tranquila e até hoje considero essa uma das melhores viagens que nós fizemos como família.

Dicas da Bratislava e Viena:

– Se for a Viena, procure ir a Eslovaquia ou Hungria que são perto e são lugares muito legais.

– Viajamos em setembro. Eu achei a Bratislava super quente e Viena fez mais frio. Dê uma olhada na previsão do tempo dos dois lugares pois apesar de próximos, o clima estava totalmente diferente.

– Nós levamos o carrinho e o carregador de bebê, mas achei ambas a cidades tranquilas com carrinho exceto a ida ao castelo da Bratislava que tinha muitas escadas.

– Ao contrário do Reino Unido, onde restaurantes não podem aquecer comida de fora, em ambas a cidades todos os restaurantes aceitaram aquecer a comida da Clara.

– Amamentar em público não foi nenhum problema.

– Todos os restaurantes que fomos tinham cadeirão de bebê mas não necessariamente trocador.

É isso! Espero que tenham gostado. O próximo relato de viagem será sobre uma viagem mais curta, para o casamento da minha irmã em Liverpool. Aguardem!

8 comentários sobre “Um tour de force da Bratislava e Viena

  1. Que lembrança maravilhosa. Eu morri de amores por Viena. A Bratislava está na minha lista de desejos. Quero muito voltar e conhecer mais da região.

  2. Acho incrível poder ter tanto dicas de locais incríveis quanto todo o seu jogo de cintura em fazer tantas coisas com um bebê de colo. Fiquei curiosa sobre o prédio mais fino do mundo… como será o apartamento? Deve mais fino ainda do que a fachada, pois tem que ter um vão de escadas né? Que diferente! Lindo o passeio!

  3. Que máximo! Temos muita vontade de ir a Xangai, é que delicia ver a Clara tão novinha já curtindo e conhecendo os lugares!

Agradecemos sua participação